Arquivo para anomalias

NASA revela prova de que um dia houve civilização em Marte

Posted in Arqueologia, Disclosure, Guerra de Informação, Jornalismo with tags , , , , , , , on 16 de janeiro de 2013 by hiperdimensao

No dia 7 de dezembro de 2012, a NASA liberou ao público uma foto que é considerada evidência suficiente – por que não dizer prova? –  de que Marte já sustentou uma civilização tão ou mais avançada do que a nossa.

Enquanto o óbvio permanece escondido às claras, o gado humano ainda espera uma declaração oficial de órgãos governamentais, ignorando a própria inteligência e conclusão óbvia quanto se analisa dados tão claros e significativos como o que vou lhes mostrar.

Isso mostra uma oposição de poderes e uma luta interna dentro da NASA. Enquanto as autoridades ligadas ao “estabilishment” não permitem declarações do tipo Revelação (Disclosure), funcionários vazam dados incríveis na esperança de que alguém monte o quebra-cabeça.

Este é o link para a imagem oficial no site da NASA.

Este é o link para a imagem em resolução máxima liberada para o público.

Curioso ainda é o fato de que as cores da imagens foram alteradas para que as fotos tivessem uma iluminação parecida com a da Terra. Na verdade, essa iluminação é a REAL de Marte, segundo Richard Hoagland. Ele esteve presente durante o pouso da sonda Viking e quando as primeiras imagens surgiram nas telas da NASA ele relata que Sagan comentou “É igual ao Arizona!” por causa do solo desertificado e do céu azul. Alguns telefonemas e horas depois, técnicos da NASA passaram de monitor em monitor corrigindo as cores para o vermelho. Portanto as imagens vermelhas que vemos em Marte não são as cores originais. E curiosamente, a foto mostrada acima e que irei mostrar detalhes interessantes estão provavelmente em sua cor original.

Carl Sagan disse em seu livro “Cosmos”: “Intelligent life on Earth first reveals itself through the geometrical regularity of its constructions.” ou seja, “A vida inteligente na Terra se revela primeiramente pela regularidade geométrica de suas contruções.”

Isso nos diz que só o homem é capaz de construir linhas paralelas ou perpendiculares, ângulos retos, quadrados etc. A natureza não é capaz de criar estruturas assim. A natureza é em regra, fractal. Assim, encontrar estruturas como as que Sagan relatou é uma grande pista deixada por qualquer tipo de civilização inteligente.

Por isso essa foto é prova de que um dia em Marte, houve uma grande civilização.

Imagem de Marte

A foto original tirada pela sonda Curiosity em Marte mostra regularidades geométricas inconfundíveis.

Note alguns detalhes agora. Para aumentar a imagem, clique sobre a mesma.

Image

Em “1” temos uma espécie de placa perfurada, saindo do solo de maneira quase perpendicular. Veja a regularidade na espessura do objeto.

angulos iguais

Exemplo de 2 ângulos iguais.

Em “2” temos um objeto curioso, que pode ser comparado com uma escada em espiral, em que os degraus se projetam de uma coluna comum. Note que os 3 “degraus” são separados por 2 ângulos iguais!

Em “3” pode-se perceber na sombra uma ponta que se projeta para fora da estrutura, podendo ser comparado com um vergalhão interno exposto devido às condições adversas do molde externo.

Apesar da obliquidade da foto, as linhas em vermelho mostram uma série incrível de ângulos retos e linhas paralelas nas estruturas em questão. Perceba que a estrutura pode ser comparada a uma coleção de lajotas retangulares que se projetam a partir do solo.

angulos retos em pespectiva

Exemplo de ângulos retos vistos em perspectiva.

Em “4” perceba como as falhas estruturais acontecem todas na mesma direção, evidenciando uma geometria regular intrínseca à construção dos objetos.

Bom, e agora? O que isso muda na minha vida, você pode pensar. Reunindo essas evidências marcianas e as evidências terrenas (centenas de pirâmides pelo mundo afora), podemos chegar a conclusão de que já ouve outrora uma civilização muito mais avançada que a nossa, tanto na Terra quanto em Marte. Eles, os marcianos, podem muito bem ser os nossos antepassados. Isso significa que a tecnologia envolvida na construção dessas estruturas está além da nossa tecnologia baseada no petróleo. Esse tipo de tecnologia já está disponível hoje, mas nos é simplesmente negada pelos psicopatas sionistas que regem o mundo. Precisamos acordar. Precisamos sair da escravidão mental dessa nossa sociedade decadente. Essa tecnologia pode salvar nosso mundo e nossas vidas decadentes.

Doença misteriosa em comissários de voo faz ligação com radiação de Fukushima

Posted in Disclosure, Guerra de Informação, Jornalismo, Nova Ordem Mundial, Política with tags , , , , , , , , , on 16 de maio de 2012 by hiperdimensao

Centenas de profissionais que trabalham em aeronaves da Alaska Airlines têm reclamado de reações alérgicas na pele e queda de cabelo. É… parece que a radiação de Fukushima começa a ter seus efeitos mais exacerbados até o momento sobre a população humana planetária.

As pessoas afligidas pela misteriosa doença dizem que a pele começou a coçar, feridas surgiram e o cabelo começou a cair. O pior é que estão botando a culpa nos novos uniformes distribuídos às tripulações das aeronaves.

Durante o ano passado sintomas parecidos foram reportados na fauna marinha e ursos polares ao noroeste dos EUA – e eles não estavam usando roupas novas.

Em abril, o AlaskaPublic.org reportou que um número alarmante de ursos polares vivendo na região de Beaufort Sea, ao norte do Alaska, estavam desenvolvendo lesões de pele e queda de pêlos. Ainda antes desses sintomas aparecerem nos ursos, as focas e morsas da região já apresentavam os mesmos sintomas.

Depois dessas descobertas, alguns cientistas e biólogos tentam de qualquer maneira evitar dizer que o desastre nuclear pode ser a causa da doença. Já disseram ser virus, bactérias e outras as potenciais causas, mas todas as hipóteses falharam em ser provadas, deixando um grande elefante branco dentro da sala que evita ser discutido: o desastre nuclear de Fukushima.

Os sintomas entre a fauna do Alaska e a tripulação da Alaska Airlines podem muito bem se relacionar com a mesma causa nuclear. Daí, qual a chance de que a mídia corrente ou qualquer sindicato/associação do setor aéreo irá questionar Fukushima como a causa? O público tem sido deixado no escuro acerca da real severidade da radiação que ainda vaza no Japão, sendo constantemente diagnosticada como muito pior do que qualquer história oficial tem dito.

Mancha em Vênus reforça suspeita de que os planetas rochosos sejam ocos

Posted in Astronomia, Ciência with tags , , , on 2 de maio de 2012 by hiperdimensao

Algumas pessoas têm filmado Vênus e encontrado uma anomalia: uma grande mancha escura em sua superfície. Ou seria em sua atmosfera?

Ainda não há resposta certa para o que ao certo seria essa mancha. As especulações são inúmeras: uma grande tempestade no planeta, a sombra de um objeto maciço em sua órbita, a entrada polar para o interior do planeta são as propostas mais comentadas.

Imagens assim podem ser conseguidas com um zoom de 24x em qualquer dispositivo de captura de imagens. Se você tiver em mãos um aparelho com essa capacidade, ajude a comunidade planetária a aumentar a base de dados para análise, já que pesquisadores carecem de dados oficiais não-manipulados.

 

 

 

Ex-governador do Arizona admite que as Luzes de Phoenix em 1997 era uma gigantesca espaçonave extraterrestre

Posted in Disclosure, Guerra de Informação, Jornalismo, Política, Ufologia with tags , , , , , , , , on 18 de dezembro de 2011 by hiperdimensao

Ex-governador do Arizona, Fife Symington, dia 12 de novembro de 2011 foi o mediador em um evento público, seguido de perto pela imprensa. Ele, mais outros 14 ex-oficiais militares e governamentais, todos altamente qualificados se reuniram para discutir  os incidentes OVNIs, que sempre têm levantado muitas questões polêmicas.

Os oficiais trocaram evidências, histórias de acontecimentos pessoais envolvendo objetos voadores não identificados, teorias, impressões.

Symington, inclusive, relatou já ter tido contatosvisual com um objeto que “desafiou sua lógica e o fez contestar seu senso de realidade”. Foi durante seu segundo mandato como governador do Arizona. “Eu pude testemunhar uma aeronave gigantesca, em forma de delta, silenciosamente navegar sobre Squaw Peak, uma cadeia de montanhas em Phoenix, Arizona. Era realmente de tirar o fôlego. Eu estava absolutamente aturdido com as Luzes de Phoenix. Para a minha perplexidade esta aparição se revelou. Era dramaticamente grande, com um dos lados distintamente sendo a frente de navegação, carregando enormes luzes pelos céus do Arizona. Como piloto e ex-oficial da força aérea, eu posso definitivamente dizer que essa aeronave não se parecia com nenhum objeto feito pelo homem. Era impossível serem apenas sinalizadores, pois eles não voam em formação”.

Este incidente a que Symington se refere ficou conhecido como “As Luzes de Phonix”:

As luzes de Phoenix foram foram testemunhadas por milhares de pessoas e até um documentário de mesmo nome foi feito, com relatos de vários dos observadores do fenômeno.

Uma histeria se intensificou quando a história ficou conhecida nos EUA e o governador – na época – decidiu fazer uma conferência à imprensa. Tudo piorou quando meu auxiliador chefe chegou a conferência vestido de alienígena. A sensação de pânico era visível e isso chateou muitos dos consituintes.

Symington agora diz: “Quero fazer a coisa certa agora. Eu nunca tive a intenção de ridicularizar ninguém. Meu escritório fez alguma investigação a cerca da origem da aeronave, mas até hoje não há resposta. A força aérea chegou a dizer que eram sinalizadores. Essa é a atitude dos canais oficiais: eles dão explicações que não correspondem aos fatos; explicações como balões metereológicos, gases, sinalizadores militares.E eu nunca fiquei feliz com essa explicação boba. Poderia muito bem ter tido sinalizadores militares no céu aquela noite, mas o que eu e centenas de outras pessoas virmos não era nada parecido com isso. Sei que não estou sozinho e existem muitos outros militares de altas patentes e oficiais da aviação e do governo que dividem essas preocupações comigo. Durante suas obrigações eles também observaram incidentes com objetos voadores inexplicáveis. Em alguns casos, investigações oficiais foram feitas por causa de segurança nacional e de vôo. Falando comigo, essas pessoas estão colocando suas reputações em risco. Elas lutaram guerras e guardaram armas secretas, protegendo o céu de nossa nação. Queremos que o governo ponha um fim nessas histórias que perpetuam o mito de que todos os OVNIs podem ser explicados de um jeito convencional, terreno. As investigações precisam continuar [pararam em 1969!], documentos precisam deixar de ser classificados. Não dá mais para fugir de um diálogo franco. Incidentes assim continuam ocorrendo. Há um ano atrás o aeroporto internacional Chicago O’Hare teve uma experiência ufológica similar. O que vimos nos céus do Arizona vai muito além dessas explicações convencionais. Quando se trata de eventos dessa natureza, ainda completamente misteriosos, nós merecemos mais abertura governamental”.

Finalmente os oficiais estão indo à luta e se arriscando para que os governos terminem o embargo sobre a verdade extraterrestre. É inegável o fato de que não estamos sozinhos. As evidências se acumulam a cada dia que passa e mesmo assim muitos ainda ignoram a realidade desses fenômenos. A lavagem cerebral oficial em cima dos cidadãos é tão evidente em sua eficiência que  quase 15 anos depois de um evento tão significativo – leia-se uma gigante espaçonave alienígena sobrevoando uma cidade inteira – ainda não é do conhecimento de grande parte da população terrena. A idéia do rídiculo e da perda da reputação para quem toque no assunto extraterrestre torna o fenômeno um tabu, indiscutível, coisa de louco. Precisamos parar de agir conforme pequenas engrenagens fazendo girar a máquina social imposta pela televisão e pela mídia corrente. Nós somos os próprios perpetuadores da visão ‘oficial’ e agimos como polícia de nosso próximo, oprimindo a verdade e o conhecimento.

Cabeça aberta! Uma nova Renascença se inicia.

Falácias do 11 de setembro de 2001 – O caso do Prédio 7 que implodiu

Posted in Guerra de Informação, Jornalismo, Nova Ordem Mundial, Política with tags , , , , , , , , , , , on 17 de novembro de 2011 by hiperdimensao

Como diz Olavo de Carvalho, para saber quem foi o responsável por um ato terrorista, basta saber de onde vem a propaganda anti-terrorista. No caso do ataque às torres gêmeas em 11 de setembro de 2001, os culpados estão infiltrados dentro do próprio governo americano: “guerra ao terror!”, gritaram os fanáticos.

As evidências acumuladas até hoje – 10 anos depois – são tantas, que fico realmente chocado quando alguém ainda cai na falácia dos “terroristas islâmicos sequestrando aviões”. O pior de tudo é a mídia corrente ainda hoje fazendo prevalecer essa visão distorcida dos fatos.

Uma das evidências mais claras é a queda do Prédio 7 (ou World Trade Center 7 ou Salomon Brothers). Trago aqui para você algumas cenas que farão você questionar mais o que a mídia tenta colocar na sua cabeça:

Neste primeiro video, vemos uma laranja e o narrador nos diz “Isto é uma laranja. Se te dissessem que era outra coisa, você não iria acreditar, não é mesmo? É a chamada ‘identificação visual’, que é baseada em experiências pessoais prévias”. A seguir seguem vários videos de prédios sendo demolidos por explosões controladas. “Os prédios não fazem isso espontaneamente”. Para ser bem sucedida, uma demolição precisa destruir todas as fundações do prédio de uma só vez. Não é o que acontece com o prédio branco do exemplo. Tome agora o Prédio 7. Ele não foi atingido por aviões, somente por fumaça e entulho. Mas espere! Olhe só como ele cai… como se fosse implodido através de explosões controladas! E a FEMA diz que o prédio caiu por causa do fogo. Ha-ha! “Mas você acredita nos seus olhos ou no que dizem pra você? Uma maçã?”

Só pra completar, neste segundo video, vemos um prédio de aço que queimou por aproximadamente 15 horas. Como você pode ver, no outro dia o prédio estava… inteiro! Já o Prédio 7, coitadinho! Queimou por umas 7 horas e foi pro chão. Não tombou de lado, não derreteu, nada. Só, de repente, implodiu:

Agora o mais chocante de tudo, é a BBC ter reportado a queda do prédio antes disso acontecer. O âncora ainda nos diz que não foi por causa de novos ataques, mas porque o prédio ficou ‘fraco’. Depois, vemos a repórter, ao vivo, em frente ao prédio, dizendo como ele caiu por causa dos entulhos que vieram das torres! Mas o prédio ainda está lá! Note a seta no video dizendo ‘WTC7’. No minuto 2:07 os dizeres “O prédio de 47 andares que fica perto do WTC, o Salomon Brothers, também cai” aparece embaixo da tela. No minuto 2:35, de repente, a transmissão ao vivo é cancelada e o âncora avisa que perdeu contato com a repórter:

Essa é só mais uma das muitas e muitas evidências confirmando o ataque de bandeira falsa do 11 de setembro de 2001. Encorajo você a pesquisar mais. Uma boa coletânea em video pode ser encontrada no documentário Zeitgeist, que pode ser visto online legendado em português, após o minuto 39:30:

Conflito no Oriente Médio recebe ajuda extraterrestre para a paz

Posted in Disclosure, Guerra de Informação, Jornalismo, Política with tags , , , , , , , , , , , , on 4 de novembro de 2011 by hiperdimensao

O Oriente Médio acaba de receber ajuda alienígena no último dia 31 de outubro de 2011.

Uma base alienígena foi destruída nessa data. Ela esteve em operação durante os últimos 5cinco mil anos! A civilização que operava esta base utilizava tecnologias exóticas a fim de gerar ódio entre os seres humanos da região.

Um representante e contato terrestre dos seres que atacaram essa maléfica base extraterrestre nos diz:

“Meus contatos do Conselho de Andrômeda me disseram que a base era muito profunda. Milhares de metros sob a água. Por anos essa base usou de frequências sônicas, especificamente miradas nas áreas do Oriente Médio, deixando as pessoas muito irritadas e agitadas, sendo induzidas a ações baseadas no medo e no ódio. Isso gerou por muito tempo emoções de confusão, medo, agitação e agressão. Eles me mostraram como a aparelhagem funcionava e uma frequência em particular era escolhida para colocar as pessoas umas contra as outras. Os reptilianos a ligavam todos os dias e era essa a maneira de controlar as pessoas em terra. Essa base em particular estava em operação a 5.000 anos. O raio de ação chegava até a Síria, Iraque, Iran, Afeganistão, Paquistão e outros países da região, incluindo Israel e Palestina. Isso é um tipo de tecnologia muito poderosa. Era necessário somente 15 minutos de operação dessa maquina para que as pessoas começassem a sentir os efeitos. Isso talvez explique muita coisa…”

O artigo original pode ser lido aqui.

A região já era conhecida por apresentar vários fenômenos eletromagnéticos exóticos, gerando a curiosidade da força militar de vários países, incluindo EUA, Inglaterra, Japão, China, entre outros. Essas ações geraram políticas de proibição e alerta de navegação no Golfo de Aden e as autoridades recomendavam evitar a área, pois ela estava sendo alvo “de constantes atuações piratas”. Mas a verdade era que qualquer embarcação que chegasse perto dos limites militares estabelecidos era imediatamente abordada – senão atacada.

Essa não é a primeira base a ser destruída por coalizões extraterrenas. Análises anteriores de atividades sísmicas na costa oeste dos EUA desde agosto de 2011 mostram relações com explosões – ao invés de terremotos naturais como a mídia corrente perpetua. Vários autores e investigadores independentes chegaram ao mesmo resultado.

Evidências de vida inteligente em Marte – parte 2

Posted in Arqueologia, Astronomia, Ciência, Disclosure, Guerra de Informação, Política with tags , , , , , , , on 26 de outubro de 2011 by hiperdimensao

Esta é uma continuação do artigo postado no dia 10 de outubro de 2011. As imagens foram tiradas do Google Mars pelo pesquisador Joseph P. Skipper e as evidências foram trazidas à atenção por Mark Wells. As coordenadas aparecem nas figuras, incentivando e facilitando a verificação por conta própria dos interessados em se aprofundar no assunto.

Nas imagens a seguir veremos uma evidência que sugere civilização ativa em Marte por causa de algo muito semelhante a um sistema de transporte na superfície marciana. O lugar onde essa evidência se encontra está bem próximo da famosa e controversa Cratera Hale.

A imagem acima mostra todo o contexto onde um possível sistema de transporte pode ser notado. Tenha em mente que ambas cores – o marrom do lado esquerdo da figura e o dourado do lado direito – são provavelmente artefatos incluídos nos dados originais, cores artificiais colocadas como layers com o objetivo de ofuscar detalhes do terreno. O que sobra são as formas gerais da geografia. Mesmo assim, a evidência da anomalia ainda é gritante.

Veja na imagem a linha reta apontada pelas setas duplas. A linha surge no canto superior esquerdo e desce para a direita desaparecendo sob a camada ofuscante dourada.

Linhas tão retas e perfeitas não existem na natureza, o que corrobora a artificialidade da estrutura apontada. Ainda, note que a seta logo à direita das setas bifurcadas apontam para um objeto branco sobre o “trilho”. Esse objeto produz uma sombra à direita da imagem, sobre o terreno, da mesma forma que outras elevações no terreno produzem o mesmo padrão de sombra. Veja abaixo maior detalhe:

Note que o objeto parece ter uma terminação mais pontuda à esquerda e derrama sua sombra à direita. Mas essa é uma imagem com a resolução muito comprometida e a escuridão à direita do objeto pode muito bem ser uma ilusão criada pelo tratamento ofuscante e borrante aplicado à imagem, assim como a característica segmentada do trilho.

Isso porque a maior parte do terreno à direita do trilho tem um padrão de borramento mais suave que o padrão de borramento à esquerda. Ambos padrões escondem o verdadeiro padrão do terreno e também o que mais possa haver lá. Assim, qualquer tipo de sombra jogada à esquerda do objeto pode em parte estar coberta e escondida pelo filtro de textura mais granuladamente borrada à esquerda do trilho. Além, o borramento de ambos os campos parecem se cruzar em perpendicular a intervalos regulares através do campo, criando a ilusão de um trilho segmentado, o que pode não o ser de fato.

Na opinião do pesquisador, há realmente algum tipo de transporte aqui, mas ele deve ser bem mais largo do podemos ver. Ele suspeita de que muito desse sistema de transporte foi escondido pelo borramento, tanto à direita, como à esquerda do “trilho”, sobrando somente o que vemos. Talvez o que vemos seja a parte mais central desse sistema, sendo que todo ele deve ser mais largo, possibilitando que vários objetos transitem ao mesmo tempo em duplo sentido.

Toda essa especulação não é sem sentido. A questão não respondida é por que que a adulteração da imagem não foi bem sucedida em cobrir os “trilhos”? O pesquisador suspeita que isso aconteceu por causa da inteligência artificial responsável pela adulteração dos dados originais e sua capacidade limitada em fazer o trabalho de acordo com a percepção humana. É possível que a inteligência artificial usou a linha reta como referência para colocar 2/dois diferentes campos de borramento, 1/um em cada lado do “trilho”, mas não foi bem sucedida em emendá-los a fim de cobri-lo completamente. O mesmo tipo de falha já foi visto pelo pesquisador várias vezes durante os últimos anos.

Ainda, esse “trilho” talvez seja parte de um sistema elevado, pois ele não parece ser afetado pelas variações do relevo. Assim, talvez o que vemos sejam os suportes de elevação, já que nas imagens originais de alta resolução a inteligência artificial cobriu os verdadeiros trilhos. Qualquer sombra criada pela elevação do sistema foi coberto pelo tratamento de adulteração da imagem, que segue lado a lado ao longo de todo o trilho.

O processo de esconder o trilho foi muito difícil. Mas ainda assim vemos o trabalho preciso da inteligência artificial que faz o serviço através de níveis militares de resolução de imagem – ainda não admitidos. Mas ainda assim incapaz de unir 2/dois diferentes campos de adulteração que cruzam a evidência. O resultado é uma quantidade limitada de evidência anômala que sobra para nós.

%d blogueiros gostam disto: