Archive for the Química Category

A tecnologia incrível da Fundação Keshe mudará o mundo

Posted in Ciência, Disclosure, Física, Futurologia, Medicina, Política, Química, Tecnologia, Ufologia with tags , , , on 25 de janeiro de 2013 by hiperdimensao

O engenheiro nuclear Dr. Mehan Tavakoli Keshe vem a público falar sobre a nova tecnologia que breve estará disponível para toda a humanidade. Veja a sua entrevista legendada em português!

Por anos ele trabalhou em silêncio no desenvolvimento de uma tecnologia tão incrível que poderá trazer a equidade e a paz entre os homens da Terra.

Alguns aspectos de sua tecnologia:

  • Aplicação à exploração espacial, permitindo o homem ir à Marte em 24 horas;
  • Qualquer substância ou material pode ser transformada em qualquer estado da matéria, mantendo sua estabilidade mesmo em condições ambientais;
  • Profundo entendimento do magnetismo e da gravidade;
  • Possibilidade de viagens espaciais de duração praticamente sem limites;
  • Cura de qualquer tipo de doença, incluindo regeneração de orgãos e membros;
  • Criação de nutrientes a partir do ar;
  • Fim da exploração do petróleo, da energia nuclear e de seus efeitos colaterais para a sociedade;
  • Viagens espaciais em qualquer velocidade, tornando a teoria da relatividade irrelevante;
  • Possibilidade de atravessar s galáxias em 20 anos;
  • Nós nos tornaremos os futuros OVNIs em outros planetas;

Ele nos diz em seu site:

Desde o início dos tempos, o desejo do homem tem sido o de ter o suficiente para sua alimentação e um lugar seguro para se abrigar, para criar um ambiente tranquilo, onde ele pode viver com paz de espírito. Nesse processo, poder desenvolver sua cultura e adicionar ao seu conhecimento, o entendimento sobre seu ambiente, o universo e a criação.

Agora a inteligência do homem atingiu um novo nível de compreensão do verdadeiro conhecimento do universo através do desenvolvimento de sistemas magnéticos e
gravitacionais e tecnologias com as quais ele pode replicar e controlar matéria e ambiente do mesmo jeito que esses estão no universo.

Esses sistemas podem prover-lhe alimento, abrigo e energia abundante em qualquer lugar do universo, podendo dar-lhe pela primeira vez a oportunidade de viajar os confins do universo em um ambiente tão familiar quanto aquele encontrado em seu planeta e em sua vida diária.

Com o uso desta tecnologia, o homem será capaz de cruzar seu planeta em minutos, o que fará das fronteiras artificiais criadas através dos séculos coisa do passado, irrelevante e obsoleta.

Agora que o homem está se preparando para viajar no espaço assim como ele o faz ao redor de seu planeta, ele está se preparando para se reunir com a comunidade universal para se aventurar pelos confins do espaço assim como outras criaçoes de Deus o fazem. Mas primeiro, ele precisa encontrar a paz em lar.”

Já não era tempo!

A cura do câncer existe e é real

Posted in Biologia, Ciência, Disclosure, Guerra de Informação, Jornalismo, Medicina, Nova Ordem Mundial, Política, Química, Tecnologia with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on 13 de maio de 2012 by hiperdimensao

A cura para o câncer, de fato, já é conhecida e documentada há quase um século. E não estou falando de quimioterapia (veneno), nem de radiação.

Desde Max Gerson, o médico alemão que desenvolveu a terapia que leva seu nome, pelo menos outras duas terapias curativas existem: os antineoplastons do Dr. Burzynsky e a maconha, crua, em sua forma natural não-queimada.

A terapia de Gerson

A terapia de Gerson consiste basicamente em tentar eliminar do organismo qualquer tipo de substância tóxica e prejudicial, prevenindo uma sobrecarga fisiológica do sistema imune na tentativa de eliminar e neutralizar os agentes poluentes do nosso meio orgânico corporal.

Isso é feito evitando-se qualquer forma de alimento processado, como farinha e açúcar refinados, que passam por vários processos químicos para se tornarem brancos e de aspecto “puro”. Evita-se também a ingestão de agrotóxicos; portanto, só é permitido alimentos orgânicos.

Ao dizer que o solo é responsável por nosso metabolismo externo, o Dr. Max Gerson brilhantemente nos traz com essa analogia a visão de mundo que evoca Gaia, a idéia de que o planeta Terra é um só organismo vivo do qual somos apenas uma parte desse todo.

Pensando assim, o Dr. Gerson institui uma alimentação em que o máximo de nutrientes em sua forma in natura deve ser ingerido, aumentando assim as chances de conseguir uma quantidade mínima de certas substâncias que seriam impossíveis de absorver apenas pela mastigação. Isso é feito com uma prensa, que extrai o suco de aproximadamente 10 kilos de vegetais variados e esse extrato será tomado ao longo do dia, juntamente com as refeições naturais compostas de vegetais, folhas, frutas, grãos e tudo o mais que for natural e livre de toxinas.

Sua neta, Charlotte Gerson, possui uma clinica no México. Há outras clínicas espalhadas pelo mundo que, usando o método desenvolvido por Gerson, tratam não só o câncer, mas também doenças cardiovasculares e autoimunes com sucesso.

Assista e divulgue os documentários “Morrendo por não saber” e “O milagre de Gerson“:

Amigdalina

A partir de 1974, o ativista político e autor do livro World Without Cancer – The Story of Vitamin B17, G. Edward Griffin passa a advocar em favor de uma substância conhecida por amigdalina, não oficialmente reconhecida como vitamina B17.

Sua proposta é parecida com a de Gerson e afirma que o câncer na verdade é uma doença gerada por uma deficiência nutricional. Assim como a falta de cada vitamina causa uma doença, como por exemplo a falta de vitamina C causa escorbuto; de vitamina B12, anemia e problemas neurológicos; vitamina E, esterelidade, e assim por diante, a deficiência de vitamina B17/amigdalina causa câncer.

No mesmo ano, o Dr. John A. Richardson, começou a curar pacientes com câncer usando um método similar ao de Gerson. Mas ao invés dos sucos, o Dr. Richardson passou a usar suplementos vitamínicos e altas de doses de amigdalina. O resultado inacreditável pode ser conferido em seu livro de descrição de casos Laetrile Case Histories: The Richardson Cancer Clinic Experience.

Antineoplastons

Os antineoplastons são uma categoria de substâncias não-tóxicas, peptídicas, descobertas pelo médico polonês Stanislaw Burzynsky. Ele percebeu que havia uma substância ainda não mapeada na urina de pessoas sem câncer e que nas pessoas com câncer, essa substância faltava. Ele fez a descoberta enquanto trabalhava em sua tese de doutorado.

Um tipo de câncer chamado glioma do tronco cerebral que nunca antes tinha sido curado num ensaio clínico controlado  foi curado pela primeira vez na história da medicina usando antineoplastons. Foram dezenas de casos similares.

Assista e divulgue o documentário Burzynsky – O câncer é um grande negócio:

Maconha

A maconha, por si, é um capítulo à parte na história das substâncias lendárias e controversas. Com a crescente apaziguação do preconceito, inclusive pelos profissionais da saúde, mais luz é jogada no conhecimento das propriedades benéficas (eu diria milagrosas) da planta que cresceria por aí com a mesma facilidade que capim – se não fosse proibida.

A quantidade de trabalhos publicados a cada ano cresce de maneira espantosa. Entre eles, um  estudo publicado na revista “Nature Reviews-Cancer” fornece, além dos detalhes, uma explicação histórica sobre como o THC e os canabinóides naturais combatem o câncer, mas preservam as células normais.

Um outro estudo, de Manuel Guzmán de Madrid, Espanha, descobriu que os canabinóides, os componentes ativos da maconha, inibem o crescimento de tumores em animais de laboratório. Eles fazem isso através da modulação das principais vias de sinalização celular, induzindo a parada do crescimento e morte de células tumorais, bem como inibindo o crescimento de vasos sanguíneos que alimentam o tumor.

O estudo de Guzman é muito importante, de acordo com o Dr. Ethan Russo, um neurologista e autoridade mundial sobre a Cannabis medicinal: “O câncer ocorre porque as células se tornam imortais, pois elas não prestam mais atenção aos sinais normais de desligar o crescimento. Uma função normal de remodelação no corpo exige que as células morram sob controle. Esta é a chamada apoptose, ou morte celular programada. Esse processo deixa de funcionar em tumores. O THC promove o seu reaparecimento, para que os gliomas, leucemias, melanomas e outros tipos de células, com efeito, fiquem atentas aos sinais, parem de se dividir, e morram. ”

Mas, isso não é tudo“, explica Dr. Russo: “A outra forma que os tumores crescem é garantindo que estes sejam alimentadas: eles enviam sinais para promover a angiogênese, o crescimento de novos vasos sanguíneos. Os canabinóides também desligam esses sinais. É verdadeiramente incrível, e elegante.”

Em outras palavras, este artigo explica diversas maneiras em que os canabinóides podem ser utilizados para combater o câncer, e, como diz o artigo, “Os canabinóides são geralmente bem tolerados, e não produzem os efeitos tóxicos das quimioterapias convencionais.

Um outro estudo mais recente, demonstrou os benefícios da utilização da Cannabis no combate ao câncer de fígado. Os pesquisadores descobriram em seus estudos que a Cannabis promove a inibição do crescimento de células cancerígenas.

E em um terceiro estudo, publicado em 2009 por pesquisadores da Suíça, descobriram que “os efeitos anti-tumorais mediados pelos canabinóides não estão limitados a inibição da proliferação de células cancerígenas, mas os canabinóides também reduzem a angiogênese, a migração celular e metástase, inibem a carcinogênese e atenuam os processos inflamatórios.”

Lembre-se que os efeitos benéficos advém da maconha consumida in natura, ou seja, crua, não-queimada.

As questões

Por que esse conhecimento não é divulgado? Por que não ensinam isso nas escolas de medicina?

Normalmente, qualquer história que sequer sugira a possibilidade de um novo tratamento para o câncer é saudada com manchetes sobre a “cura do câncer”, quão remota e improvável seja. Mas se métodos “fora do esquema” corporativo estiverem envolvidos, quem dera a – fale baixo… – maconha, não esperem nenhuma cobertura da mídia, já que os editores tradicionais vêm silenciosamente matando esta história desde sempre.

E isso é porque Doença dá lucro. É muito mais lucrativo tratar pra sempre com remédio feito do petróleo do que curar rapidamente, ainda mais com substâncias naturais, impatenteáveis.

– agradeço a colaboração de www.anovaordemmundial.com e caminhoalternativo.wordpress.com

Plantar maconha para fins medicinais deixa de ser ameaça criminal em tribunais americanos

Posted in Biologia, Ciência, Disclosure, Filosofia, Guerra de Informação, Jornalismo, Medicina, Nova Ordem Mundial, Política, Química, Tecnologia with tags , , , , , , on 1 de abril de 2012 by hiperdimensao

Você sabia que o THC da “Cannabis sativa” não-psicoativo (quando a planta está crua) é um tremendo remédio? Atua como potente anti inflamatório, analgésico e ainda milaculosamente tem propriedades oncopênicas / anticâncerígenas ainda não elucidadas pela medicina. No link, histórias do milagre, por favor, veja!

Ainda, o Departamento de Justiça americano conclui: “…em se tratanto de termos médicos, a maconha ingerida é muito MAIS SEGURA para a saúde do que muitos outros ALIMENTOS disponíveis para consumo.”

Assista ao video!!

http://www.youtube.com/watch?v=7xPmR8j4plw

Maiores informações:

http://www.naturalnews.com/035400_juicing_cannabis_remedies.html

Como a geoengenharia e as pulverizações dos nossos céus afetam a nossa saúde

Posted in Disclosure, Geoengenharia, Guerra de Informação, HAARP, Química, Traduções with tags , , , , , , on 7 de fevereiro de 2011 by hiperdimensao

Tradução do texto original por Hiperdimensão:

Por décadas, governos e cientistas do mundo todo têm negado a existência de discretas operações que (por várias razões) usam aeronaves militares para pulverizar nossos céus com toxinas químicas. Tais operações tem sido desmentidas como teorias da conspiração, ou em muitos casos uma má interpretação dos rastros de condensação [N.T.: em inglês, contrails]. Os governos estão finalmente admitindo que a geoengenharia é uma realidade e têm declarado que apesar dos danos à nossa saúde, irão continuar essas operações indefinidamente.

Eles têm sido chamados de rastros químicos [N.T.: em inglês, chemtrails], sprays aerosóis, emissões aerosóis, nuvens cirrus, entre outros termos. O maior número de relatos vem do Canadá e dos Estados Unidos. Mas isso também acontece ao redor de todo o mundo, incluindo países como França, Alemanha, Nova Zelândia, Austrália, Inglaterra, entre outros [N.T.: no Brasil também há relatos e essas formações podem ser vistas quase diariamente nos grandes centros urbanos]. Se você vive nesses países, apenas olhe para cima e os verá em algum momento do dia ou semana. Geralmente esses aviões deixam uma grosso punhado de rastro ou uma longa linha de rastros salpicados que cruza o céu inteiro. Eles estão ligando e desligando suas turbinas? E tão freqüentemente? E por que os “X” que tem sido observados e documentados ao redor de todo o mundo? Há milhares de fotos na internet com esses padrões.

Nota do Hiperdimensão: Vá ao YouTube e procure pelo termo “chemtrail” ou “chemtrail brasil”. Você ficará estarrecido com as imagens. Isso também acontece no Brasil. Passe a olhar o céu mais frequentemente. Conheço pessoas que passam um dia inteiro sem sequer olhar para o céu!

As leis federais em quase qualquer nação na Terra não permitem aeronaves comerciais cruzarem caminhos tão próximos e tão rapidamente. Esses jatos estão sob controle militar. E as cores prismáticas geralmente observadas como resultado da névoa do aerosol sendo iluminada pela luz solar?

Se a névoa é feita principalmente de vapor de água, monóxido de carbono e quantidades ínfimas de hidrocarbonetos, as cores prismáticas seriam essencialmente as de um arco-íris. Mas, ao invés disso, são magenta, verde, ou exibem grandes faixas de laranja e amarelo. Qualquer elemento através do qual a luz solar passa deixa uma cor de assinatura em que é totalmente única para aquele elemento. Através de um espectroscópio, um grande número de metais pesados tem sido demonstrados sempre presentes em nossa atmosfera. Todos os metais pesados, como vocês podem saber, causam sintomas de demência associados com o mal de Alzheimer. Um propósito que agora é bem documentado de acordo com pesquisadores, é o da manipulação climática. Karten Brandt, meteorologista alemão, declara que “os militares estão manipulando os mapas metereológicos”.

As falhas nos sinais de radares são o principal propósito, teoriza o Sr. Brandt na entrevista. “Eu fiquei surpreso essa nuvem artificial era tão amplamente espalhada. As imagens de radar são chocantes considerando a necessidade de toneladas de elementos dispersantes – apesar disso, os militares alegam que uma pequena quantidade de material é propagada. Os chefes militares afirmam que as substâncias não são danosas”.

Johannes Remmel, representante do Partido Verde Alemão declara que “o governo deve prover explicações para a população insuspeita”. Enquanto radares estão pegando aeronaves suspeitas, os militares alemães estão usando imagens de satélite como contramedidas a fim de esconder suas operações.

Desde que os Rastros Químicos se espalharam tanto ao redor do mundo, é fácil ter a idéia de que são apenas militares realizando operações de falha de sinais de radar como parte de uma espécie de exercício.

A linha de frente dessas operações nos Estados Unidos parece ser a marinha americana, como detalhou Dr. Len Horowitz em “Death in the Air: Globalism, Terrorism & Toxic Warfare” [N.T.: em livre tradução, “Morte no Ar: Globalismo, Terrorismo & Guerra Tóxica”]. Muitos opositores governamentais alegam despopulação global, a redução da população do mundo em dois terços, como a razão secreta por trás da pulverização através de rastros químicos. [N.T.: sobre a redução da população mundial, pesquise sobre as “Pedras Guia da Geórgia” ou “Georgia Guidestones”, um monumento americano em mármore com alguns dizeres, no mínimo, interessantes].

Rastros Químicos diferem dos ordinários rastros de condensação porque aqueles perduram no céu por horas e são freqüentemente observados sendo emitidos por aviões que voam em rotas cruzadas, levando à formação de um “X” ou padrões de grade no céu. [N.T.: no Brasil esses rastros também podem ser vistos em formatos de laços, círculos e duas semi-retas em ângulo]. Rastros Químicos também afetam diretamente o clima local, transformando um céu azul e limpo em um céu carregado.

Ano passado, a “KSLA news investigation” descobriu que uma substância que caiu na terra vinda de um rastro químico de grande altitude continha altos níveis de bário (6,8 ppm) e chumbo (8,2 ppm), assim como traços de outros químicos que incluíam arsênico, cromo, cádmio, selênio e prata. De todos esses, apenas um não é um metal, alguns são tóxicos e vários nunca ou quase nunca são encontrados na natureza. A reportagem foca o bário, que é a “marca registrada” dos rastros químicos. A KSLA descobriu que os níveis de bário em suas amostras de 6,8 ppm são “mais de seis vezes o nível de toxicidade estabelecido pela EPA [N.T.: agência de proteção ambiental americana]”.

A KSLA também perguntou a Mark Ryan, diretor do Centro do Controle de Venenos sobre os efeitos do bário no corpo humano. Ryan comentou que “exposição de curto prazo pode levar à dores de estômago e dores do peito, e exposição a longo prazo causa problemas de pressão sanguínea”. Essa agência também reportou que exposições a longo prazo de qualquer substância nociva contribui para o enfraquecimento do sistema imune, o que muitos especulam ser o propósito dos rastros químicos.

Realmente, o óxido de bário tem sido repetidamente citado como um dos contaminantes das suspeitas experiências de geoengenharia.

O bário causa asma, a qual tem alcançado proporções epidêmicas ao redor do mundo. É também um potente imunosupressor. Nas minas de bário os trabalhadores têm o que chamamos de baritose, um tipo especial de asma que, contra-intuitivamente, é pior na semana em que eles não estão trabalhando nas minas e melhora quando eles retornam ao trabalho. Você também sabia que nós temos uma estação de resfriado todo ano e que ela pode durar de 8 a 9 meses? A incidência de alergias tem aumentado tanto que os lucros das companhias farmacêuticas com medicamentos anti-alérgicos triplicaram. E só pode ser coincidência que esse aumento nos lucros reflete o aumento das operações de pulverização que começaram diligentemente em 1998.

A modificação climática pode adversamente causar impactos em agriculturas e reservatórios de água. Se o clima é modificado em um estado, região ou país, isso pode ter consquencias severas para outro estado, região ou país. E quem vai decidir o tipo de experiência de modificação e quem irá se beneficiar ou adversamente sofrer os impactos?

Modificação climática artificial pode causar impactos em todos nós através da redução dos suprimentos de água, mudando os ciclos de produção agrícolas, reduzindo a produção agrícola e a disponibilidade de água. Já que a maioria das experiências com modificação climática usam químicos despejados na atmosfera, o público pode estar sujeito a crescentes quantidades de tóxicos e substâncias desconhecidas que podem adversamente impactar plantações e florestas. O turvamento global e os rastros químicos persistentes que produzem nuvens artificiais podem ter sérios impactos na produção agrícola. Um estudo recente em plantações de milho em Illinois mostra que o encobrimento do céu com nuvens reduz a produção de milho, enquanto que a exposição direta à luz solar aumenta a produção. Adicionalmente, o aumento das nuvens criadas pelo homem podem reduzir a efetividade dos painéis solares.

Gil Smolin, um profundo conhecedor da gripe aviária, disse no Show de Ron Owens na Radio KGO (5 de janeiro de 2006) que notou que a gripe foi espalhada mais rapidamente no inverno, quando havia “falta de luz solar”. Estariam a nuvens feitas pelo homem contribuindo para essa falta de luz solar que poderia espalhar a gripe aviária mais rapidamente do outras épocas do ano? Programas experimentais de modificação do clima poderiam exacerbar este problema através da mudança dos padrões climáticos.

Em 2007, Rosalind Peterson, residente a muito tempo na Califórnia, foi convidado para dirigir a Conferência das Nações Unidas durante ambos um workshop que aconteceu em 5 de setembro e uma sessão de mesa redonda em 6 de setembro de 2007. Rosalinda foi convidado a este evendo por causa de sua pesquisa e trabalho no campo da agricultura relacionada às mudanças climáticas, aquecimento global e como as nuvens fabricadas pelo homem, assim como as experiências de modificação climática afetam a agricultura. Rosalind é co-fundadora e presidente da Coalisão de Defesa Agrária. Trechos de seu discurso incluem:

Empresas internacionais de modificação climática estão modificando nosso clima com programas que cobrem milhares de milhas quadradas. A maioria desses programas usam químicos tóxicos ou partículas que alteram o clima tanto com lançamentos do solo quanto do céu e que mudam ou modificam nosso micro-clima local.

Micro-clima

Uma das coisas com as quais eu me preocupo e que precisamos dirigir, agora e no futuro, é como esses programas estão afetando os micro-climas necessários à sobrevivência de nossas plantações e sua polinização.

Se nós mudarmos artificialmente as estações de plantio, nossos polinizadores, como as abelhas e pássaros (muitos agora em acentuado declínio nos EUA), podem não sobreviver, deixando muitas flores, plantas nativas, agriculturas e árvores sem serem polinizadas. A perda de gramíneas nativas, plantas, árvores e agriculturas pode ser devastadora, não só nos EUA, quando no mundo todo.

“Atenuação”

O coro sobre “atenuação” ouvido em todo lugar soa impressionante. Entretanto, essas medidas indefinidas podem ser prejudiciais à saúde humana, produção agrícola, solo, e fontes aquíferas. É necessário definir o significado de atenuação e colocar todas essas medidas sob foco governamental, agrícola e público. Nós não queremos nos colocar em na posição de cometer grandes erros em trocar um problema de poluição por outro ainda mais sério.

O seguinte exemplo reflete um acordo de “atenuação monetária” que permite aos poluidores comprarem a habilidade de poluirem mais: (SF Chronicle – Setembro 2007 – A Califórnia faz acordo com ConocoPhillips para que possa expandir sua refinaria na area da baía de São Francisco enquanto paga ao estada da Califórnia 10 milhões de dólares para que possa soltar um adicional de 500 mil toneladas de poluentes de sua fábrica em Rodeo, CA. Ainda, seu acordo de expansão adicionaria um milhão de toneladas a mais de dióxido de carbono de outra fábrica que atualmente solta 1,9 milhões de toneladas por ano.)

Essa expansão também aumenta a quantidade de óxidos de nitrogênio, dióxido de enxofre, fuligem e outros poluentes que serão emitidos enquanto a expansão da fábrica é completada.

Esquemas de Geoengenharia

Esquemas de Geoengenharia, muitos desenvolvidos para colocar químicos, sais ou outras partículas na nossa atmosfera para controlar o aquecimento global estão só esperando para serem implementados ou já foram implementados. O lançamento de partículas químicas, como sulfatos altamente poluentes, estão sendo discutidos pela NASA Ames (Encontros Sobre Geoengenharia, novembro 2006) e por muitos cientistas ao redor do mundo só esperando pelos financiamentos.

Estes químicos e partículas, estão sendo propostos para que a quantidade de raios solares diretos que alcançam a Terra sejam reduzidos para que o planeta possa esfriar. O que está sendo discutido, por exemplo, é que a California, em 2006, tirou o enxofre altamente poluente do combustível diesel por causa de asthma e outros problemas ambientais. Agora há propostas para colocar o enxofre de volta na atmosfera para reduzir o aquecimento global.

Onde está a discução sobre o declínio do ambiente, agricultura e saúde humana? E a opinião do público ou do congresso sobre estas propostas? O público não vê, ouve ou tenta regular propostas que protegeriam a agricultura e a saúde pública. A prática de colocar químicos em nossa atmosfera vai certamente ter um péssimo impacto nas colheitas e na saúde das árvores. E se você coloca químicos nos céus para reduzir o tanto de sol que chega à Terra, você vai reduzir a fotosíntese necessária à produção agrícola.

Para que se possa produzir colheitas e para que plantas e árvores possam crescer e florescer elas precisam da luz direta do sol. Um estudo recente da Universidade de Illinois sobre plantações mostra que o número aumentado de nuvens no céu reduz a produção agrícola, enquanto que o aumento da luz solar aumenta a produção das colheitas. A fotosíntese é o processo no qual as plantas obtêm energia para crescer e produzir.

Se nós “atenuarmos” e reduzirmos a quantidade de luz solar alcançando o chão, isso irá afetar negativamente a produção agrícola não dos EUA, como do mundo, podendo colocar o mundo em uma crise alimentícia.

Dois experimentos parecem estar reduzindo a produção alimentícia nos EUA:

– Mudanças nos micro-climas causadas por programas de modificação climática e,

– falta de fotossíntese causada por persistentes rastros químicos que produzem (segundo a NASA), nuvens fabricadas que mudam o clima. (Painéis fotovoltaicos estão produzindo menos energia por causa desses experimentos.)

Nuvens Fabricadas

A NASA notou em outubro de 2005, em um jornal, assim como outros estudos, que os crescentes e persistentes rastros de aeronaves estão criando nuvens que estão “armazenando calor na atmosfera e exacerbando o aquecimento global”. A NASA continua: “Qualquer incremento na cobertura de nuvens ao redor do globo irá contribuir para mudanças a longo prazo no clima da Terra. Assim, qualquer mudança climática terrestre pode vir a afetar os recursos naturais”. (A apresentação de Rosalind começa assim).

Jatos que deixam persistentes rastros estão mudando nosso clima para um nível em que causa o seguinte efeito, de acordo com Patrick Minnis da NASA (fevereiro de 2007): “Nós descobrimos que os rastros estavam produzindo muito mais nuvens do que pensamos que produziriam. Este avião em particular produziu um rastro que cobriu uma área de 4 mil kilometros quadrados e durou por 6 horas. Mas nós também descobrimos que haviam rastros cobrindo áreas ainda maiores e que duravam mais de 20 horas”.

Dr. Wayne Evans, cientista atmosférico: “Você pode ver dois rastros formando nuvens do tipo cirrus. A maioria das nuvens naturais refletem mais luz de volta para o espaço do que emitem energia infravermelha em direção ao chão. Entretanto, nuvens cirrus são diferentes. Elas na verdade radiam mais energia do que a refletem de volta para o espaço. Além disso, essas nuvens contribuem para o aquecimento global.

Um jato deixando apenas um rastro persistente, que pode se expandir para cobrir uma área de quatro kilometros quadrados e durar por mais de vinte horas é um fenômeno que não foi ouvido nos anos 50, 60 e 70. Não foi até os anos 80 que depois houve uma grande chance de que pessoas começassem a ver os primeiros rastros persistentes que hoje nós podemos ver em grande escala.

Estudos da NASA mostram uma mudança climática e problemas de aquecimento global que puderam ser atribuídos a esses tipos de rastros de aviões e que esses aviões causaram sim esses tipos de rastros persistentes que se formam em nossos claros céus azuis. Uma das questões que devemos fazer conforme avançamos nesse assunto é: “COMO VOCÊ GOSTA DO SEU CÉU, NATURAL OU FABRICADO?” E logo agora nós estamos fabricando céus iguais aos que você pode ver em fotos. E essas nuvens manufaturadas estão prendendo o calor em nossa atmosfera. Não é hora de todos nós nos atentarmos a esse problema de aquecimento global?

Nota do Hiperdimensão: Já é mais do que comprovado que o aquecimento global não tem suas raízes em causas humanas, antrópicas. O aquecimento global é um fenômeno que está ocorrendo em todos os planetas do Sistema Solar. Você pode ler mais detalhes sobre isso, neste excelente artigo de Richard C. Hoagland e David Wilcock. Trata-se, portanto, de um fenômeno cósmico. Apesar de alguns indícios de que uma instabilidade solar pode ser a causa, ou ainda que estamos experimentando uma parte de um longo processo cósmico cíclico, muito há ainda a se pesquisar.

Aquecimento Atmosférico Químico e Programas de Teste

Existem também outros experimentos sendo feitos em nossa atmosfera. Nuvens apresentando cores artificiais, estranhas, são comumente relatadas e mostram o resultado desses experimentos. Essas cores representam uma reação química produzida por experiências conduzidas pela NASA e a Força Aérea Americana. Eles enviam aos céus pacotes lotados com químicos tóxicos desenhados para explodir quando superaquecidos. Assim, pode-se conduzir experimentos de testes atmosféricos e ionosféricos.

Alguns rastros persistentes de aviões e nuvens fabricadas, eu acredito, permitem que cientistas observem os resultados desses testes tanto de satélites, quanto de bases terrestres. Sem as nuvens fabricadas, esses testes não podem ser feitos, nem observados, pois os agentes químicos não produziriam marcas visíveis.

O Kit de Imprensa da NASA e da Força Aérea Americana mostra um programa de testes atmosféricos da NASA (ligados ao HAARP, que podem produzir os espectos das auroras. Nesses experimentos, pacotes são enchidos com químicos e superaquecidos a diferentes altitudes. Esses pacotes contém os seguintes químicos que podem estar poluindo nosso ar e aparecendo em incomuns picos de detecção em reservatórios de água da Califórnia – Departamento de Saúde do Estado da Califórnia, Resultados de Testes com Água da Divisão de Água Potável – Arquivos Públicos, Sacramento, Califórnia):

Em curtas notas publicadas em maio de 2008 pelo Conselho de Relações Exteriores (CRE), a Geoengenharia é levada a cabo por elites internacionais baseadas em idéias radicais sendo apoiadas pela administração de Obama.

Os seguintes trechos são tirados do documento:

Estratégias de Geoengenharia

Entre todos os esquemas de geoengenharia, aqueles atualmente considerados mais praticáveis incluem o aumento do albedo planetário, ou seja, a reflexão da luz solar de volta para o espaço antes que ela possa ser absorvida. Existem vários métodos que podem ser usados para aumentar a refletividade planetária:

  1. Adicionar mais pequenas partículas reflexivas na parte superior da atmosfera (a estratosfera a qual está localizada entre 15 e 50 kilometros acima da superfície terrestre).
  2. Adicionar mais nuvens na parte inferior da atmosfera (a troposfera).
  3. Colocar vários tipos de objetos refletores no espaço, tanto perto da Terra, como em um local estável entre o Sol e a Terra.
  4. Mudar largas porções da superfície planetária onde a cobertura é escura (absorvente), como árvores, para coisas que são claras (reflexivas), como neve ou grama.

Aerosols estratosféricos que podem ser desenhados para migrar uma região em particular (por exemplo, sobre o ártico) ou para se elevarem acima da estratosfera (para não interferir na química estratosférica).

Adicionar mais do tipo certo de finas partículas para a estratosfera pode aumentar a quantidade de luz solar que é refletida de volta para o espaço.

Várias tecnologias, quando aplicadas à geoengenharia podem ser usadas para elevar partículas para a estratosfera, tais como armas navais, foguetes, balões de gás quente ou dirigíveis, ou esquadrões de alta altitude. Partículas com potencial de uso incluem dióxido de enxofre, óxido de alumínio ou até aerosóis especialmente desenhados para flutuar.

Um documento com um sumário de um encontro geoengenharia de 1999 (PDF, páginas 12, 13, 14) também diz categoricamente que objetivo último da “estratégia tecnológica para o aquecimento global” é a implementação de uma taxa de carbono.

Nota do Hiperdimensão: Assista ao documentário “A Farsa do Aquecimento Global”, documentário este que se contrapõe ao “Uma Verdade Inconveniente”, do ex-futuro-presiente americano Al Gore. Assistindo aos 2, você poderá perceber como essa verdade inconveniente foi especialmente desenhada para se parecer muito mais inconveniente do que o título sugere!

Há uma pasta contendo valiosos documentos em PDF, todos publicados pelo CRE, e todos dizendo respeito ao programa de geoengenharia.

Um excelente video resumindo as preocupações sobre rastros químicos chamado Geoengenharia e Eugenia acabou de ser lançado pela Media Rival Productions. Esse video mostre grandes aviões em janelas dispersando rastros químicos, assim como aeronaves que parecem ligar e desligar em pleno ar as emissões químicas. O fato de algo está sendo deliberadamente disperso fica claro neste video e isso não pode ser confundido com pulverizações de plantações, as quais são realizadas por aviões leves e de baixas altitudes.

O organismo nanotecnológico

Posted in Biologia, Física, Nanotecnologia, Química with tags , , , , , on 23 de julho de 2010 by hiperdimensao

Nosso corpo, nosso organismo, é um intrincado sistema formado pela interação de inúmeras nanopeças, normalmente chamadas de “proteínas”. Proteína é o nome dado a uma classe de moléculas formadas a partir de subunidades protéicas (outras peças menores) bem definidas e abundantes no universo. O total dessas subunidades que usamos para formar nosso organismo é de número 22 – são os aminoácidos. Assim, cada proteína responsável pela formação de nosso corpo é o produto da combinação desses 22 blocos básicos, ainda menores que as proteínas, encadeados nas mais diversas combinações virtualmente sem limite de tamanho.

Interessante é notar que cada aminoácido somente pode ser encaixada entre outros 2, de forma que o encaixe de várias peças resulta num um encadeamento linear – uma fita.

Cada uma dessas 22 peças possui propriedades (a)elétricas ou de carga, (b)magnéticas, (c)plásticas e (d)conformacionais diferentes de modo que os particulares concatenamentos produzem um número infinitamente virtual de novas “peças” que podem interagir entre si formando eficientes mecanismos. A combinação variada entre os 22 aminoácidos que formam nosso organismo é usada para a criação de nanopeças, que por sua vez formam nanomáquinas – máquinas de tamanho nanométrico que cumprem, dentro do nosso organismo e de nossas células variadas inúmeras funções.

Aqui é um exemplo de uma nanomáquina responsável pela duplicação da molécula de DNA. Note como o conjunto molecular atua harmonicamente. A interação entre o substrato genético e a máquina replicadora muda a conformação da própria máquina, que por sua vez muda a conformação e disposição do próprio substrato gerando um ciclo. É um processo cíclico, dialético e convergente – ou seja, um processo em espiral.

Todo o nosso corpo é assim. Mas não achem que somos apenas esse conjunto de intrincados mecanismos, uma mera e multifuncional engrenagem. Só quero chamar atenção aqui para o elevadíssimo grau de tecnologia envolvida na manifestação de nossos corpos nessa nossa realidade consensual.

%d blogueiros gostam disto: