Isso não é uma brincadeira: governos americano e inglês criam protocolo contra ataque de zumbis

Pode parecer inacreditável, mas isso não é nem uma brincadeira ou piada. O órgão governamental americano para controle de doenças, o U.S. Centers for Disease Control (CDC), já desgostoso perante ao público depois da decepção da gripe suína, está publicamente alertando os americanos a se prepararem para um ataque de zumbis.

A História conta

Relatos de diários de bordo encontrados em navios que se perderam em alto mar contém informações onde se pode deduzir toda a fisiologia envolvida em um cenário onde pessoas são expostas à fome em confinamento. Quando o “cada um por si” é inevitável, as pessoas irão literalmente se comer. Toda uma possível ética envolvida em cogitar o ato de comer outra pessoa vai por água abaixo depois que a pessoa passa por um processo de inanição intenso. Depois de esgotadas as reservas energéticas do nosso corpo, alguns órgãos menos essenciais à sobrevivências passam a ser consumidos em favor de mais energia para a manutenção de funcionamento de pulmões, coração e cérebro. A pulsão em direção à preservação da vida é tanta, que ainda em detrimento da sobrevivência, pulmões e coração levam vantagem em relação ao córtex cerebral – a camada superficial que cobre nossos cérebros, também a responsável por permitir a manifestação adequada do nosso superego.

Assim, o sujeito passa então a se comportar como um animal selvagem, livre de todas as suas amarras éticas, morais e legais. O cérebro reptiliano é quem comanda agora. Quando todas as possibilidades de retirar nutrientes do ambiente extra corporal se esvai, esse sujeito agora, com a cognição totalmente distorcida pela fome que literalmente comeu seu cérebro, vai fazer o que for preciso para sobreviver, inclusive comer outra pessoa.

Essas possibilidades foram mostradas em filmes como “A Estrada” e “O Livro de Eli”. Se a capacidade de produzir energia elétrica de uma grande população fosse retirada abruptamente e durasse tempo suficiente para que bens de consumo alimentícios fossem escasseados e não houvesse possibilidade de subsistência num confinamento tão grande quanto o próprio mundo, as pessoas iriam literalmente se comer.

Mas parece que não é bem esse tipo de possibilidade, uma fome mundial, que preocupa o governo.

Dicas de preparo se parecem mais com inteligência militar

Além de dicas típicas como a de ter suplementos estratégicos como kits médicos de emergência, comida, água e ferramentas, a estratégia inclui juntar todos os seus “documentos importantes” do tipo passaporte e certidão de nascimento. Isso óbviamente quer dizer que você será relocado e provavelmente irá acabar como um refugiado em alguma espécie de campo de concentração “FEMA“. Mas é claro que se você não tiver sua certidão, você poderá fazer uma no Photoshop, já que nem a mídia mais pode ver a diferença (como no caso da certidão de nascimento falsificada do Obama).

O que não surpresa é que eles dizer pra você levar seus próprios remédios com você. Como se não fosse suficiente a lavagem cerebral sobre a necessidade do ser humano em usar drogas prescritas. Parece para eles, que por algum motivo, nosso corpo tem carência de drogas farmacêuticas… Algumas pessoas realmente acreditam que sem essas substâncias, elas podem morrer! Apesar de isso ser verdade para alguns poucos casos, no final das contas as pessoas têm mais danos usando drogas, do que a quantidade de pessoas se beneficiando delas. Mas isso é outra história…

CDC: Não se defenda contra os zumbis

Surpreendente é que, dentre todas as dicas, não há qualquer menção a ter uma arma consigo. Os filmes deixam claro o quanto é mais fácil ser morto se você está desarmado. E o CDC não faz uma única menção sequer a uma faquinha básica. Talvez seja porque o governo não quer encorajar o uso de armas civis durante uma emergência? Mas tudo bem, é só ter os seus documentos em ordem e esquecer da sua própria segurança.

Da própria página do CDC: “Nunca tema! – O CDC está pronto!” e segue “O CDC irá providenciar assitência técnica para cidades, estados ou parceiros internacionais que estejam lidando com uma infestação zumbi. Essa assistência pode incluir consultoria, testes e análises laboratoriais, gerenciamento e cuidado de pacientes, busca de contatos, controle de infecção (incluindo isolamento e quarentena)”.

Controle de infecção significa que pessoas infectadas serão presas sob a mira de armas e colocadas em “zonas de infecção” onde todo mundo que estiver infectado e tentar fugir será morto com uma bala. É assim mesmo que uma quarentena funciona, caso você não saiba. Um ótimo exemplo é o filme REC.

Como morrer? Basta seguir os conselhos governamentais

Bom, então quer dizer que se o apocalipse chegar na base de zumbis, tudo o que você precisa fazer é se preparar com suas medicações acompanhadas de prescrições e sua certidão de nascimento. Depois basta sair pelas ruas infestadas de zumbis sem uma porra de uma arma? Nem uma faquinha ou uma machadinha? E como alguém pode magicamente sobreviver a um ataque de zumbis tempo suficiente para esperar o governo vir lhe proteger (colocar você em quarentena, pois provavelmente depois desse período de vulnerabilidade, a exposição já virou um risco).

O governo só pode mesmo ser muito cara de pau para publicar um negócio desses. Pegue seu passaporte (eles estarão checando seus papéis em postos policiais) e lembre-se de seus remédios (porque isso irá deixar você calmo, dócil e sugestionável), mas não traga nenhuma arma que possa ajudá-lo a se defender de um zumbi. Revólveres, arco-e-flecha, nada.

Pensando neste tipo de situação, um inventor adaptou uma serra elétrica em sua AR-15, como se fosse uma baioneta. Aqui ele mostra como funciona. Só faltou adaptar um lança-chamas.

Perda da credibilidade governamental

A parte triste nisso é que graças ao fiasco da gripe suína, que foi uma óbvia tentativa de fabricação de uma pandemia só para vender vacinas inúteis para as pessoas, o governo ocidental tem perdido cada vez mais sua credibilidade. Depois da gripe suína ficou evidente como órgãos governamentais servem de ponto de apoio para distribuição e venda de produtos das grandes indústrias farmacêuticas. A corrupção é tamanha que um ex-cientista foi indiciado por fraude e lavagem de dinheiro. É isso aí, pessoal: a ciência realmente a serviço da vida…

Pelo menos, o que podemos tirar de bom nisso tudo é a dica de se preparar com um kit de comida, água, ferramentas e primeiros socorros. É muito mais do que os governos nos disseram em relação ao acidente de Fukushima, que foi muito pior que o de Chernobyl. Depois que o acidente nuclear fez derreter toda a estrutura da usina, vazando material radioativo para o chão e arredores, nunca ninguém falou sobre se preparar para uma ameaça nuclear.

Porque um apocalipse zumbi pode ser mais real do que você imagina

O consumidor comum hoje já é praticamente um zumbi. Ele come carne infectada com príons, bebe água fluoretada, é vacinado todos os anos com tóxicos neurológicos, assiste na TV aos noticiários para que possa ficar programado, toma remédios psiquiátricos para alterar sua química cerebral. Isso empurra  um grande número de pessoas para a chamada “realidade de funcionamento zumbi” onde todos possuem uma disfunções cognitivas.

Em outras palavras, essas pessoas podem até tentar se vestir adequadamente, se alimentar, usar o banheiro, bater cartão no serviço. Mas apesar dessa aparente humanidade, elas já são 50% zumbis.

Não se precisa de muito mais para empurrar todo esse pessoal para um bairro zumbi: um pouco mais de radioatividade, algumas vacinas de inverno, ou até uma série de flashes coloridos engenhosamente feitos para atingir seu cérebro enquanto assiste TV, levando as pessoas a sair pelas ruas, todos somente de cueca, bocas sujas de salgadinhos e bolachas, procurando carne fresca.

Pode até parecer brincadeira, mas não é. A mente zumbi já foi preparada através de entoxicação por mercúrio, pesticidas, flúor, aspartame e outras exposições químicas igualmente prejudiciais. Esperamos somente o evento gatilho que irá criar hordas de zumbis. É aí que você vai querer ter uma calibre 12. Aliás, países que desarmaram sua população viram crescer vertinosamente a criminalidade.

Inglaterra segue exemplo americano

E por mais esdrúxulo que tudo isso possa parecer, a Inglaterra vai à público com documento contendo protocolo para infestação zumbi também.

O documento, que foi à público por causa do Ato de Liberdade de Informação, contém intruções bizarras como “desconecte o cérebro do corpo, tanto por esmagamento por força bruta ou por remoção da cabeça”.

Era só o que faltava…

O que precisamos é de mais ficção.

Já não chega as guerras contra as drogas, contra o terror, contra as doenças? Não seria bom se de repente os governos/corporações admitissem que todas essas guerras são mera ficção e que não passam guerras abertamente imperialistas, todas baseadas em justificativas de mentirinha?

Isso tudo mostra que precisamos ficar atentos e preparados, não só para eventos inesperados, mas também para tentativas governamentais bizarras em alimentar nosso cérebro com desinformação e fatos convenientemente manipulados.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: